17/10/2019 BARCELONA

Dia da Terra: O que temos para comemorar?

O Dia da Terra, 22 de abril, é uma data festiva comemorada em muitos países do mundo. Criado nos Estados Unidos pelo senador Gaylord Nelson durante a década de 70 com o objetivo de criar uma consciência mundial sobre os problemas ambientais. Hoje os índices de perda de biodiversidade seguem sendo alarmantes.


Por que foi criado o Dia da Terra?

O Dia da Terra, 22 de abril, é uma data festiva comemorada em muitos países do mundo. Foi criado nos Estados Unidos, pelo senador Gaylord Nelson, durante a década de 70, com o objetivo de criar uma consciência mundial sobre os problemas da contaminação, destruição da biodiversidade, uso não sustentável dos recursos naturais, desmatamentos e outros problemas que ameaçam a vida no planeta.

Cerca de 40 anos depois o mundo ainda se ressente de uma consciência ambiental e a perda de biodiversidade segue sendo um grande problema.

O que é biodiversidade?

Termo lançado por Edward Wilson durante o National Forum on Biodiversity (1982), diversidade biológica, ou biodiversidade, refere-se à totalidade dos recursos vivos, ou biológicos, e dos recursos genéticos, e seus componentes. Inclui a variedade genética dentro das populações e espécies; a variedade de espécies da flora, da fauna e de microorganismos; a variedade de funções ecológicas desempenhadas pelos organismos nos ecossistemas; e a variedade de comunidades, habitats e ecossistemas formados pelos organismos.

Estima-se que os estoques globais de diversidade biológica podem chegar a 100 milhões de espécies. Dentre os atuais países megadiversos destacam-se o Brasil, a Colômbia, a Indonésia, o México, o Peru, Madagascar e a Austrália; sendo que pelo menos 10 a 20% de toda a biodiversidade catalogada está no Brasil.

Por que a perda de biodiversidade é tão alarmante?

A diversidade biológica indica a manutenção da qualidade ambiental; não respeita as fronteiras estabelecidas pelos Estados e sua perda implica na destruição do equilíbrio ecológico e conseqüente redução da qualidade ambiental. Representa, também, perda de potencial para uso econômico, principalmente através do uso de recursos genéticos, e incremento da taxa de extinção das espécies por conta da ampliação das atividades antrópicas. Ainda que durante bilhões de anos a extinção de espécies tenha ocorrido devido a fatores naturais, a perda da diversidade biológica é apontada como um problema ambiental global. Funciona como a “ponta de um iceberg” de vários outros problemas tais como as mudanças climáticas, a desertificação, a eutrofização de rios, lagos e mares, entre outros, já que, ao final, todos resultam em perda de biodiversidade.

De acordo com o Panorama Global da Biodiversidade, a maior parte dos serviços ambientais que nos são oferecidos pela natureza estão em risco, incluindo aí a provisão de água potável, a produção de pesca marinha, a suficiência de auto-limpeza da atmosfera, a regulação de catástrofes naturais (tais como deslizamento de encostas e inundações) e a capacidade dos ecossistemas agrícolas oferecerem controle de pragas e solo fértil.

As conseqüências dessa perda são, principalmente, sentidas pelos países mais pobres. Nestes, suas populações dependem de forma mais imediata do uso dos recursos naturais e dos serviços ambientais para sua sobrevivência. A partir de dados do Banco Mundial, o Panorama Global da Biodiversidade demonstra que os recursos naturais totalizam cerca de 26% da riqueza total desses países. Sendo necessário, “um manejo mais adequado dos ecossistemas e recursos naturais para sustentar o desenvolvimento enquanto essas nações constroem outras formas de riqueza”. Já os países desenvolvidos, ainda que tenham uma melhor capacidade de adaptação a essas perdas, apresentam um consumo médio de recursos naturais acima da capacidade de suporte dos ecossistemas o que só aumenta a pressão sobre a biodiversidade.

A Pegada Ecológica, dada pelo consumo médio dos recursos naturais no nível global, determina a exigência humana sobre a natureza em relação a área terrestre e aquática, biologicamente produtiva, necessária para a disponibilização de recursos ecológicos e serviços. Os países desenvolvidos são apontados como os principais responsáveis, apresentando uma demanda 25% maior do que a oferta de recursos, a ponto de ameaçar a capacidade de regeneração do planeta.

Estima-se que o ponto de equilíbrio entre o consumo e a regeneração dos recursos naturais seria o equivalente a 1,8 hectares globais, por ano/por pessoa. Contudo, o relatório mostra que para a manutenção dos atuais padrões de consumo e produção, o consumo médio está em 2,2 hectares globais, por pessoa/ano. Mantidos esses níveis, a previsão é de que em 2050 este consumo poderá ter dobrado.

Sabendo usar não vai faltar… 10 dicas de como contribuir para conservar o planeta:

  1. Proteja as florestas: em tempos de aquecimento global, as árvores ajudam a manter quantidade de gás carbônico controlada na atmosfera.
  2. Coma menos carne vermelha: A criação de bovinos é um dos maiores responsáveis pelo efeito estufa. O gado produz metano, um gás inflamável, poluente, e mega fedorento. A produção de carne vermelha demanda uma quantidade enorme de água. Para produzir 1kg de carne vermelha são necessários 200 litros de água potável. O mesmo quilo de frango só consome 10 litros.
  3. Jogue menos comida fora: aproveite talos, cascas e restos em receitas nutritivas. A decomposição de restos de comida resulta na produção de gás metano, ligado ao efeito estufa.
  4. Prefira alimentos frescos: comidamida congelada precisa de dez vezes mais energia para ser produzida.
  5. Não desperdice água. esse é um dos recusros mais importantes e frágeis do planeta: feche torneiras, conserte vazamentos, não use mangueiras para para lavar calçadas, aproveite água de chuva.
  6. Lave a seco: a economia é de 316 litros de água para cada veículo, em média.
  7. Voe menos, reuna-se por videoconferencia. Deixar de pegar um avião faz uma diferença significativa para a atmosfera.
  8. Dê a seu carro uma folga: se ele ficar uma vez por semana na garagem, ao fim de um ano a economia em emissão de CO2 chegará a 440 quilos — volume que uma árvore de grande porte leva vinte anos para absorver no processo de fotossíntese.
  9. Recicle, Reuse, Reutilize!
  10. Acredite no futuro: estimule idéias inovadoras que contribuam para a manutenção dos recursos naturais e a melhoria da qualidade ambiental.

[vsw id=”TxvMh2DaGfk” source=”youtube” width=”425" height=”344" autoplay=”no”]

Esta é uma explicação sem fins lucrativos

¿Quieres recibir más explicaciones como esta por email?

Suscríbete a nuestra Newsletter:


Karen Oliveira

Brasileña, geóloga, especialista en cooperación internacional y medio ambiente. Máster en Energía, Doctora en Relaciones Internacionales. Trabajo con la movilización de fondos y gestión de proyectos direccionados al desarrollo social, salud, género y medio ambiente. Mis temas de interese son política, economía, medio ambiente, derechos humanos y sus interrelaciones.


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

seven + nineteen =

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


Sobre nosostros

Con más de 2.000 explicaciones publicadas por más de 300 redactores de 45 países, United Explanations es la mayor plataforma online colaborativa de divulgación internacional en lengua española. Explicamos los asuntos internacionales con un enfoque de derechos humanos.


CONTACTO




Newsletter


¡Colabora con UNX!

Si tienes pasión por los asuntos internacionales y tienes formación o experiencia en la materia. ¡Únete a nuestro equipo haciendo click aquí!